sexta-feira, 8 de maio de 2009

Inocência

A Inocência é bonita
como é sedutora num homem
se o homem sabe de tudo não conquista ninguém
se você sabe de tudo você não conquista ninguém

Eu não sou inocente,nem sedutor
sou um mero conhecedor de tudo um pouco
consciente de tudo,sou um sempre atento
um sempre tento a mulher perfeita

Um ignorante de nascença
que fez do conhecimento doença
tornou a ilha da inocência
um tesouro a ser achado

Inocência perdida
Inocência achada
Cadê você
Minha inocência roubada

Inocência achada
Inocência ilhada,traçada de cicatrizes
que criaram raízes e fincaram seus pés em meu pescoço
fincaram raízes em meus vasos sanguíneos e neurônios

Inocência traçada errada
partindo pra viajar na Urca muito cedo,ficou presa lá
em frente ao cais,perdida,procurando o Roberto Carlos
que eu nunca achei

Inocência de alguns viciados
dos que acham que vivem,vivendo em em computadores
das mesas que caducam e acham que tem pés
dos Josés Marias perdidos pela rua

Das esquinas das prostitutas
como é bonita a inocência das prostitutas
a inocência das putas
é mais bonita que a minha

Cadê minha tia
cadê a tia pra me dar um doce
quero correr na rua jogar queimado
brincar de circo,de lutinha com meus primos

Cadê meus primos?
quero sobrinhos pra brincar então
não tenho sobrinhos
cade meus sobrinhos porraaaaaaaaaaaaaaa???!
Quero meus sobriiinhoos!!!

2 comentários:

Rafael disse...

AHuaAhauh! Muito bom!

Taiyo Omura disse...

belíssimo!!!

belíssimo, tua lira tece uma teia leve e fina, do algodão da imaginação,
do algodão das roupas da infância

com cheiro de sabão

e mãe.