segunda-feira, 9 de março de 2009

Um passo

Ficar doente,com febre
em um casebre aconchegante,é elegante
é sofisticado,sentindo o vento batendo no telhado
com pequenas ondas de fogo no corpo

Como na profecia,o mundo está solitário
o mundo é doença
eu sou a cura
dessa amargura

Sou poeta frente uma fogueira
rente a filmes antigos bons
me sentindo menos um na multidão
fã do isolamento

Frequentador de festas
desobedecedor de disciplinas de vez em quando
e como,em um segundo,vejo toda minha vida,agora?
será a hora?

Como não percebi todos os lances de escadas por que passei
e todas as mulheres que olhavam pra mim neles
e os empregos e coisas que a vida me ofereceu
como era tão cego?

A vida é um raio
bate na estrada atrás do carro
e nunca mais volta a dirigir

Um traço na curva
que olhado do retrovisor
só se vê o rastro

Um passo
é muito curto no mundo

no mundo esse passo já passou

Nenhum comentário: