quarta-feira, 4 de março de 2009

humor com alguma coisa

Úmida sensação do humor
tranquilo relaxamento e acomodação
estudo comôdo de suas interfaces,sua graça
humor às vezes vem só de pirraça

É vício como toda arte
sombra fresca parada numa tarde
sons de inverno,carinhos ternos
humor te dá a sensação de moderno

Monte Fuji,Taj Mahal
lugares belos lembram as piadas
lembram as risadas em lugares distantes
rumores próximos de humores distantes

A poesia do português ainda não ganhou da sua piada
farto de tanta zoação Fernando pessoa se revelou
e até na China sua poesia se espalhou
fazendo de cumprimentos uma risada

sombreio esse meu humor sombrio
tento falar sorrindo pras essoas nas ruas
pois minha voz muitas vezes sai obscura
e a pessoa pensa que sou mau

Falo sorrindo como num comercial de mercado
ou da casa e vídeo
construo um castelo/subsídio de exposição
me tirando do conforto da seriedade e constatando o poder de minha vontade

Da decisão
quando decidido uma decisão não há um pão que não se coma
não há um coma de que não se saia
nem uma saia que não se conquiste
não há limite

sorrindo,cantando,gozando
aaah,vibrando
pega a murchidez bola murcha e come o papagaio na porrada
trava o confronto juvenil entre você e uma piada

Nenhum comentário: