sexta-feira, 20 de março de 2009

Enchente em São Paulo

A geladeira virou um barco na brincadeira daquele menino
Menino que parte sem remo
Azulino,da geladeira da água
do balde e amálgama

Tem uma coisa nesse menino
uma criatividade inerente,poente
Algo que ninguém tira dele,um presente
O presente

O presidente vê esse menino e diz:
Eu queria ter sido ele
a Lula do rio também avista o oceano
o mundo não é plano

e nas correntezas e correntes
divergências e divergentes,na política
existem chamas de faísca líquida
existe pó de semente

O garoto planta a semente
pra felicidade
pra politicidade
pra veemente mente de seu coração
pra ele que não teve não
e só sim,em sua realidade
proeminente

O garoto é a semente
O garoto é a semente

Um comentário:

Taiyo Omura disse...

tá bom pra caralho!!!
POESIA PURA!!!