quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Fui

Fui
saindo
de-va-gar

Curtindo cada segundo
antes de zarpar
no mar

Fechando as narinas pro mundo
sentindo dores nos punhos
socando sacos de areia
na diversão

Ouço uma melodia ao fundo
que acompanha toda a metamorfoseação
de cada segundo,cada vitória
cada existir

Casca grossa sendo quebrada
surpreende a roda da'alma
a calma alma
solta nua

Parede amarela da montanha
folhas mato são meus avôs
me curtindo ali de cima
desde novinho

e assistindo o indo e vindo
fostes e istes semeado
atividade e ativizado
agora,agorado

Cachorros eu sou
sei falar com eles
lato em chinês e alemão
assim compreendo o mundo cão

3 comentários:

Taiyo Omura disse...

esse poema trouxe um sorriso na minha
louca

Guerreiro disse...

Uma parada na leitura de Macbeth de shakespeare para uma aliviada na alma, meio atordoada com a leitura, pelos seus lindos poemas que adoro!

Alessandro disse...

late cachorra